sexta-feira, 20 de março de 2009

Soneto da saudade, para um amigo.

Um pesar

Invade-me o peito.

Que me dói,

Perturba-me.


Uma nostalgia

Sem limites,

Quão me deixa

Insana.


Palavras a serem ditas,

Olhares a serem trocados,

... Caricias inexistentes.


Uma magoa que carregarei

Até que, por fim.

Nos encontremos


(Jessy Beraldo)